link

Alunos da EFA de Alfredo Chaves realizaram atividade prática para criação de repelente caseiro

Alunos da EFA de Alfredo Chaves realizaram atividade prática para criação de repelente caseiro

Eles têm em média 10 milímetros. Mas esse pequeno tamanho não faz jus à proporção do incômodo que podem provocar. Sim, estamos falando dos pernilongos.

Fazer o seu próprio repelente caseiro é uma solução totalmente natural e que não exige grandes gastos. Essa é uma solução bem mais sustentável e tão eficaz quanto os produtos químicos que são comercializados. O repelente caseiro leva apenas ingredientes fornecidos pela natureza e são de fácil preparo.

É preciso entender que as condições climáticas características do verão brasileiro de fato favorecem a reprodução dos pernilongos. O calor acelera o processo reprodutivo deles, fazendo com que as fêmeas coloquem mais ovos e com que os ovos eclodam mais rapidamente. Além disso, as temperaturas que normalmente são constatadas pelos termômetros ao longo dessa estação são as ideais para o funcionamento do organismo dos pernilongos: de 26ºC a 28ºC. Quando se verifica temperaturas abaixo dos 18ºC, eles hibernam; acima de 42ºC, eles morrem.

A própria população e as autoridades têm uma relevante parcela de culpa nesses episódios de infestação dos mosquitos. Por exemplo: rios poluídos facilitam a proliferação dos pernilongos. Isso porque nesses rios há uma elevadíssima concentração de matéria orgânica necessária para seu desenvolvimento. Não atentar para focos de água parada e de vegetação alta também são atitudes que contribuem para o crescimento exponencial da população de pernilongos.

 


Creditos:
Facebook da EFA de Alfredo Chaves e eCycle.