efao

Monitores e alunos se uniram para inaugurar a primeira Escola Família Agrícola do Brasil


Era 10 de março de 1969, a primeira Escola Família Agrícola do Brasil iniciou suas atividades com 27 jovens, em um curso técnico com duração de dois anos em Olivânia, na cidade de Anchieta.

A história começa a ser escrita em um velho prédio que pertencia à extinta Legião Brasileira de Assistência – LBA, onde através de uma estreita relação entre o fundador do Movimento de Educação Promocional do Espírito Santo, Pe. Humberto Pietrogrande e o diretor daquela instituição, Dr. Delizart Santos, permitiu que o edifício que estava abandonado desde o início de 1968 fosse cedido ao MEPES.

Com sua agradável localização, tamanho e dimensão, além de contar com energia elétrica e água própria, seria o lugar perfeito para iníco das atividades voltadas a educação do campo, necessitando apenas de uma limpeza geral.

E assim, da união entre os monitores e os 27 jovens alunos, no cabo da enxada o campo foi aberto, primeiro para plantar hortaliças que ampliariam e diversificariam a alimentação de todos, e, em seguida restaurando o pomar de citros e depois os chiqueiros.

Créditos:

Texto baseado no livro "A Longa Caminhada" de Sérgio Zamberlan.